sábado, 20 de setembro de 2014


Procuro-te - dentro de mim.
estou só e quero escrever, assaltar
recintos insulares de um tempo
que já foi, mas ficou.
gravou-se-me no peito
a memória de mil beijos
transmuto farrapos de imagens
vagamente longínquas,
em sensações reais, tão nuas
meu deus... quase me sinto,
 ali de novo, e nunca fui tão jovem, 
e nunca fui tão poeta!

MF

Sem comentários:

Enviar um comentário

Rascunhos ( Novembro (2018) - ? )   * almejava um choque de rompante um frio que arrombasse os ossos e os acordasse uma dor ...