domingo, 4 de outubro de 2015









subliminares despontares humanos nos bastidores do mundo,
tecidos de uma malha maior que serve de força motriz à vida
- o pressentimento de tudo, a indizível poesia humana,
desde sempre e para sempre.


MF

Sem comentários:

Enviar um comentário