segunda-feira, 5 de junho de 2017





disseram-nos, está gravado
num qualquer nosso património interno:

"façam-se castelos com as lágrimas,
acendam de novo as cinzas com o sopro magno da vossa transcendência"


se eu pudesse dizer a vida numa metáfora diria
uma primavera atravessada por uma lágrima
e é grandioso e assustador crescer
mas o crescimento maior é uma relaçao directa com a abertura e calor do teu coração
não cessemos de ser nas agruras daqueles que perderam a fé
e nas nossas próprias dores estimadas
porque somos ainda nós
para lá delas
e elas não morrem, nem vão realmente embora
(quisemos alguma vez que fossem embora e nos deixassem sem memória?)

MF

Sem comentários:

Enviar um comentário