segunda-feira, 24 de julho de 2017




dava-te o meu céu e quanto ao inferno
atirava-o para ontem
e roubavas-me de ver amanhã
firmavas-me aqui
garantias-me cada segundo com os teus olhos
 - que estás aqui,
que estamos juntos além do espaço
e mesmo na solidão de nós, estamos um com o outro.






Sem comentários:

Enviar um comentário